1. Home
  2. /
  3. Investimentos
  4. /
  5. Renda Variável
  6. /
  7. Ações
  8. /
  9. 8 dicas importantes para...

8 dicas importantes para investir em ações

A Bolsa de Valores é muito mais do que um ambiente com investimentos de maior risco. Nela, as empresas listadas negociam parte de seu capital social. Quem adquire ações pode participar da tomada de decisões estratégicas e receber parte dos lucros na forma de dividendos.

Para investir corretamente é importante conhecer as dinâmicas da Bolsa, saber exatamente o que são as ações e como funcionam, além de entender características próprias, como o perfil de investidor.

Existem riscos consideráveis, até porque o mercado de Renda Variável costuma ter muita volatilidade. Porém, com aportes corretos os ganhos podem ser expressivos.

Este texto apresenta 8 dicas para você que está começando – ou deseja começar – a investir em ações de empresas listadas na Bolsa de Valores.

1. Saiba com detalhes o que são ações

Saiba com detalhes o que são ações / A foto mostra um grupo de investidores conversando enquanto andam no corredor de uma empresa.

São cinco pessoas andando, sorrindo e conversando. É possível ver um homem e uma mulher na frente, ele com um copo na mão e ela com uma pasta. Atrás deles há uma mulher e outra pessoa de quem só é possível ver o braço. Ao fundo, ainda há mais um homem que anda com as mãos nos bolsos.

Pode até parecer óbvio, mas é importante entender com detalhes o que são as ações e como esse investimento funciona. Existem vários pontos importantes que envolvem o mercado acionário.

Para citar um exemplo, existem 3 tipos de ações com características diferentes: ON, PN e Unit.

Ações preferenciais (PN) são as que dão preferência no recebimento de dividendos. Ou seja, quando a empresa divide parte de seus lucros com os acionistas, quem tem PN recebe primeiro.

Já as ações ordinárias (ON) entregam esses ganhos só depois das preferenciais. Porém, elas dão aos acionistas o direito de participar das assembleias da empresa e votar em decisões importantes para a sua administração.

Units são um tipo especial que une PN e ON em um único pacote e dão os dois direitos aos acionistas.

2. Tenha a sua reserva de emergência

Tenha a sua reserva de emergência / A foto mostra a mão de uma pessoa colocando uma moeda de 1 real em um cofre de porquinho.

Existem situações na vida em que não é possível ter total controle, como problemas com o emprego ou questões de saúde inesperadas, por exemplo. É para situações assim que a reserva de emergência se faz necessária.

Com uma reserva montada corretamente, de acordo com as suas necessidades, você evita mexer nos valores investidos caso precise de recursos para lidar com algum problema.

Vale ressaltar aqui a volatilidade da Renda Variável. Sair do investimento antes do momento correto pode gerar prejuízos ao acionista.

Uma das opções para os valores de reserva é alocar em títulos seguros, com boa liquidez e rendimento acima da inflação. O Tesouro Direto costuma ser uma das principais indicações para isso.

3. Respeite o seu perfil de investidor

Respeite o seu perfil de investidor / A foto mostra um homem e uma mulher sentados à mesa e conversando. Eles usam roupa social e o homem segura um conjunto de folhas grampeadas com uma mão e aponta para algo no papel com uma caneta que está na outra mão para mostrar à mulher.

Essa é uma das etapas mais importantes para o sucesso nos investimentos. Afinal, a principal função do perfil de investidor é definir a tolerância ao risco.

De modo geral, parte das pessoas se sente confortável ao arriscar mais na busca por ganhos melhores. Enquanto isso, outros podem perder o sono se tiverem que enfrentar um dia com perdas.

Existem 3 perfis principais:

  • Precavido – preza muito por segurança e, dos 3, é o que mais tem aversão a risco;
  • Moderado – tolera um pouco mais de risco na sua carteira;
  • Agressivo – o mais disposto a tomar riscos e costuma ser o que mais investe em Renda Variável.

4. Conheça a empresa antes de investir

Conheça a empresa antes de investir / A foto mostra um investidor usando o computador em uma mesinha dentro de um jatinho particular. Ele é branco, tem o cabelo penteado para o lado, barba e usa um terno claro com gravata preta. Ao lado do notebook há uma xícara e um smartphone.

Para investir com cuidado e buscar um controle dos riscos, é importante conhecer a empresa na qual se deseja investir. Isso envolve aspectos como saber o modelo de negócio, a área de atuação e quais são os concorrentes.

Além disso, há métricas que também podem ser analisadas para entender se a administração faz um bom trabalho.

5. Tenha boas informações de fontes confiáveis

Você pode perceber por este texto que informação é uma parte muito importante do investimento em ações – saber como a Bolsa de Valores funciona, entender os papéis das empresas em detalhes, entre outras informações.

Todo esse tipo de informação pode ser bem mais acessível do que parece. Uma dica é começar com o e-book do Portal SVN que detalha os aspectos mais importantes para saber antes de começar a investir na Bolsa de Valores.

6. Diversifique a carteira

Diversificação é uma das principais palavras do mercado financeiro. Ela geralmente vem acompanhada da metáfora “não coloque todos os ovos na mesma cesta”.

Não é à toa que o termo é repetido quase como um mantra. Como os investimentos envolvem risco, diversificar é um caminho para manter um desempenho satisfatório da carteira quando algum ativo não for bem.

Com os papéis de empresas listadas na Bolsa não é diferente. Ainda que você também tenha outros ativos, como títulos de Renda Fixa, vale diversificar a carteira de ações em si.

É natural que todos esses processos pareçam difíceis para um investidor iniciante. Mas neste texto ainda abordaremos como você pode lidar com os desafios de conhecer o mercado, as empresas e acompanhar os seus investimentos.

7. Acompanhe sua carteira de ações

Acompanhe sua carteira de ações / A imagem mostra a entrada do prédio da B3, a Bolsa de Valores do Brasil. Ele tem acabamento de pedra, janelas muito altas, uma grande portal ao centro, de onde sai um homem e é possível ver o logo da B3 atrás dele, dentro do prédio. Há um segurança no lado esquerdo da porta. No lado direito, é possível ver um post de luz antigo e bancos para as pessoas sentarem.

Os ativos da Renda Fixa costumam ter prazo – uma data na qual o investidor recebe seu aporte de volta com os juros que estavam combinados desde o início. Mas isso não existe nas ações.

Pode chegar um momento em que você não queira mais continuar investindo em determinada empresa, porque considera que deixou de valer a pena para a sua estratégia.

Para isso, é importante acompanhar as ações com alguma periodicidade. E os investidores utilizam períodos diferentes, conforme for melhor para cada um – 15 dias, 1 mês, 3 meses, por aí vai.

Vale destacar que as empresas com capital aberto mantêm na internet páginas para os acionistas. Elas são chamadas de Relações com Investidores (RI) e as companhias utilizam para divulgar documentos importantes, como balanços trimestrais, por exemplo.

Também é comum encontrar notícias na imprensa sobre o desempenho das companhias, além de casas de análise que publicam suas visões sobre empresas listadas.

8. Invista com ajuda de um assessor de investimentos

Chegamos a um ponto que tem sido importante para uma quantidade cada vez maior de investidores.

Como mencionado antes, são muitos aspectos para ter atenção – o funcionamento do mercado, dos diferentes tipos de investimentos, as empresas, seus setores de atuação e até mesmo o noticiário econômico.

São muitas coisas para cuidar e prestar atenção, investir bem exige uma dedicação parecida com a do trabalho. Por isso a quantidade de assessores de investimento cresce cada vez mais no Brasil.

Esses profissionais são responsáveis por entender sobre economia, mercado financeiro, acompanhar empresas e títulos. Eles unem essas informações às características e ao perfil de cada um de seus clientes.

Um assessor de investimentos experiente escreveu um verdadeiro guia sobre a Bolsa de Valores, e você tem acesso gratuito. Aproveite para conferir o conhecimento de um profissional de assessoria e saber tudo o que precisa para começar a investir em ações.

Autor

Boris Bellini
Jornalista com experiências em marketing, segurança digital, mercado editorial e financeiro. No meio acadêmico, pesquisa a credibilidade jornalística. Anteriormente foi músico, tendo atuado como violoncelista e professor.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes:

5 minutos de leitura

Simulações de investimentos

Descubra o rendimento de diferentes valores no mercado financeiro.