1. Home
  2. /
  3. Investimentos
  4. /
  5. Renda Fixa
  6. /
  7. É verdade que o...

É verdade que o 1% ao mês da Renda Fixa está no fim?

O Comitê de Política Monetária (Copom) confirmou as expectativas e realizou mais um corte de 0,5 ponto percentual na taxa Selic, que agora está em 11,25% ao ano (a.a.).

Antes de chegarmos aqui, você deve ter visto: entre 2022 e 2023, muito se falou no mercado financeiro sobre Renda Fixa com ganhos na casa de 1% ao mês, e até mais do que isso.

Essa porcentagem de retorno nos investimentos é alta, principalmente quando o nível de risco é próximo a zero. Mais ainda se a liquidez for diária – ativos em que o investidor pode receber seus recursos de volta no mesmo dia em que faz o pedido de retirada.

Os ganhos recheados vieram por causa da alta da Selic, a taxa básica de juros da economia nacional, que chegou a atingir o patamar de 13,75% ao ano. Porém, como destaca Rafael Hek, assessor de investimentos na SVN: “o cenário está mudando”.

Este texto é dedicado a explicar as mudanças e em qual contexto elas acontecem. No tópico final você confere uma tabela que simula os impactos dos cortes da Selic na rentabilidade mensal dos investimentos com diferentes valores de aporte.

Vale destacar que os retornos mencionados aqui, como 1% ao mês, são brutos, já que não consideram o impacto do Imposto de Renda (IR) nem de possíveis taxas cobradas para a realização dos investimentos.

Investimentos de ouro / a foto mostra uma mão colocando uma moeda em um cofre de porquinho.

Investimentos de ouro

Quando um investidor vai fazer um aporte, existem 3 características para ficar de olho: rentabilidade, segurança e liquidez. Geralmente é possível ter apenas duas delas, ou uma só.

Porém, com a alta dos juros, houve investimentos simples, como CDBs, que entregavam retorno bruto acima de 1% ao mês. “A gente falava que o dinheiro que ficava em liquidez diária, com risco muito próximo a zero, remunerava mais de 1% ao mês”, lembra Rafael.

Nos CDBs do exemplo – e da lembrança do assessor –, o investidor poderia encontrar os 3 pontos mencionados: rentabilidade considerada alta por especialistas, nível de segurança confortável e liquidez diária.

Mas as coisas começaram a mudar.

A Selic iniciou o ano de 2024 em 11,75%. Rafael explica que, com os juros nesse patamar, um CDB que ofereça 105% do CDI consegue entregar o equivalente a 12,33% ao ano. Isso significa retorno bruto superior a 1% ao mês.

Porém, essa realidade terminou no último dia de janeiro, com uma nova decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC). A autoridade manteve o ritmo de cortes e reduziu a Selic em mais 0,5 ponto percentual, o que deixa a taxa no patamar de 11,25%.

Rafael explica que, para conseguir retornos de 1% ao mês na Renda Fixa atualmente, é necessário olhar para investimentos com prazos mais longos, como 3, 4 ou até 5 anos. Ele acrescenta que até o final de 2024 deve ficar cada vez mais difícil encontrar esse nível de rentabilidade.

Banner de divulgação do e-book "Onde investir em 2024". Ele mostra uma imagem gerada por inteligência artificial de um investidor branco, em pé, de terno e óculos olhando para um gráfico de investimentos em uma grande tela.

O lado esquerdo da imagem é escuro e apresenta o seguinte texto: "Onde investir em 2024. Confira as melhores oportunidades na Bolsa e na renda fixa. Descubra quais fundos estão em destaque! Acesse o e-book exclusivo".

Taxa Selic: o que é, como vive e por que está caindo

“A Selic é uma ferramenta que o Banco Central tem para conter a inflação”. Rafael Hek detalha que a alta da taxa torna mais interessante deixar de consumir para investir o dinheiro – os valores “parados em liquidez diária” com retornos próximos a 14% ao ano. Em resumo, o financiamento de bens e as compras parceladas com juros ficam mais caros. É assim que a subida dos juros torna o consumo menos atrativo, ao mesmo tempo que os investimentos ficam mais interessantes.

Por outro lado: “Quando o BC reduz a Selic, os investidores não têm mais esse conforto de deixar parado e ganhar quase 14% ao ano”, complementa.

Após 8 meses em 13,75% ao ano, os efeitos da Selic começaram a ser percebidos – redução da inflação e arrefecimento da atividade econômica. O assessor Rafael Hek ressalta que a economia mais fria não gera crescimento, então, é hora de reduzir a taxa de juros.

O sobe e desce / A foto mostra uma pessoa visualizando um gráfico em uma tela de notebook ao mesmo tempo que vê outro na tela do celular. Ao lado dela também há uma calculadora.

O sobe e desce

A crise deflagrada pela pandemia de covid-19 espalhou inflação pelo mundo. Felipe Beltrão, assessor de investimentos na SVN, explica que ela foi gerada pelo aumento dos preços das commodities e pela injeção de dinheiro nas economias. E com o Brasil não foi diferente.

No segundo semestre de 2020 a taxa Selic estava em 2% a.a. O ciclo de alta teve início no começo de 2021 e, em agosto de 2022, chegou ao máximo de 13,75% ao ano, um patamar mantido até junho do ano seguinte.

De acordo com dados do Relatório Focus, produzido pelo Banco Central, a mediana das expectativas de agentes do mercado financeiro é de que a taxa básica de juros encerre 2024 em 9%. Economistas da XP, por outro lado, ainda mantêm uma projeção em 10% para o final do ano.

Diante desse cenário, é importante ter em mente agora que fica cada vez mais difícil olhar para frente e ver retornos de 1% ao mês na Renda Fixa. Em algum momento próximo eles podem desaparecer por completo.

Como essa mudança impacta os seus investimentos em Renda Fixa?

A tabela abaixo traz uma referência dessas mudanças nas carteiras de investimentos. Ela mostra rentabilidades pelo período de em 1 ano com 3 taxas diferentes: 13,75%, 11,25% e 9%. Além disso, aqui você também confere o impacto da taxação de 17,50% do Imposto de Renda (IR) e as simulações consideram investimentos de R$ 300 mil, R$ 500 mil e R$ 1 milhão.

Selic média: 13,75% a.a.Selic média: 11,25% a.a.Selic média: 9,00% a.a.
R$ 300.000,00R$ 341.250,00R$ 333.750,00R$ 327.000,00
Imposto de Renda17,50%17,50%17,50%
Retorno líquidoR$ 334.031,25R$ 327.843,75R$ 322.275,00
Selic média: 13,75% a.a.Selic média: 11,25% a.a.Selic média: 9,00% a.a.
R$ 500.000,00R$ 568.750,00R$ 556.250,00R$ 545.000,00
Imposto de Renda17,50%17,50%17,50%
Retorno líquidoR$ 556.718,75R$ 546.406,25R$ 537.125,00
Selic média: 13,75% a.a.Selic média: 11,25% a.a.Selic média: 9,00% a.a.
R$ 1.000.000,00R$ 1.137.500,00R$ 1.112.500,00R$ 1.090.000,00
Imposto de Renda17,50%17,50%17,50%
Retorno líquidoR$ 1.113.437,50R$ 1.092.812,50R$ 1.074.250,00

O ritmo atual de corte de juros é de 0,5 ponto percentual a cada reunião do Copom. A tabela a seguir mostra, na linha de cima, as taxas de 13,75% até 8,75% com o ritmo atual de queda. No linha de baixo, você confere o quanto cada um desses patamares da Selic oferece de rentabilidade bruta mensal.

13,75%13,25%12,75%12,25%11,75%11,25%10,75%10,25%9,75%9,25%8,75%
1,08%1,04%1,01%0,97%0,93%0,89%0,85%0,82%0,78%0,74%0,70%

Autor

Boris Bellini
Jornalista com experiências em marketing, segurança digital, mercado editorial e financeiro. No meio acadêmico, pesquisa a credibilidade jornalística. Anteriormente foi músico, tendo atuado como violoncelista e professor.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes:

4 minutos de leitura

Simulações de investimentos

Descubra o rendimento de diferentes valores no mercado financeiro.