Alta do dólar e produção industrial em foco no Brasil

Ibovespa
Na terça-feira, o Ibovespa fechou em leve alta de 0,1%, aos 124.787 pontos. O índice foi pressionado por novas falas do governo sobre a situação fiscal e monetária, o que provocou uma nova alta do dólar, de 0,1%, e chegou a um novo recorde anual durante o pregão, de R$ 5,70, mas fechou cotado a R$5,66. Nos últimos 30 dias, o dólar teve alta de 8,2%.

O principal destaque positivo foi PRIO (PRIO3, +1,4%) após as organizações ambientais concluírem que a empresa atendeu à maioria das sugestões na Avaliação Técnico do campo de Wahoo, na Bacia de Campos. Já o principal destaque negativo foi M Dias (MDIA3, -4,1%), após um banco de investimento rebaixar a recomendação do ativo.

Para o pregão de quarta-feira, teremos a divulgação dos dados de produção industrial no Brasil, referente ao mês de maio, e nos EUA, teremos o relatório ADP, a ata do FOMC, e a leitura final do PMI de serviços e composto do S&P.

Renda Fixa
Os juros futuros encerraram a sessão de terça-feira (2) com fechamento por toda extensão da curva, sobretudo nos vértices curtos e intermediários. No Brasil, o dia começou agitado, com abertura na curva de juros e elevação do dólar para R$ 5,70, após novos ruídos políticos elevarem as preocupações acerca da condução da política fiscal, e da independência do Banco Central (BC). Contudo, a fala do presidente do BC num fórum econômico em Portugal sinalizou para a expectativa de uma inflação comportada em 2025, o que ajudou o movimento de retirada do prêmio de risco dos ativos locais, e da redução da aceleração do dólar para R$5,66. Já nos EUA, o destaque foi a fala do presidente do Federal Reserve (Fed), em que afirmou que o Fed teve progresso na redução da inflação, levando investidores a aumentarem suas apostas em cortes de juros na reunião de setembro. Por lá, os rendimentos das Treasuries – títulos soberanos americanos – de 2 anos fecharam em 4,74% (-3,0bps) e as de 10 anos em 4,43% (-5,0bps). DI jan/25 fechou em 10,77% (queda de 6,8bps vs. pregão anterior); DI jan/26 em 11,67% (queda de 10bps); DI jan/27 em 12% (queda de 7bps); DI jan/29 em 12,35% (queda de 3bps).

Mercados globais
Nesta quarta-feira, os futuros nos Estados Unidos abrem levemente positivos (S&P 500: 0,03%; Nasdaq 100: 0,05%), e mercados de juros se acalmam após falas de Powell em evento. Nesta semana, o mercado ainda aguarda dados de emprego, e hoje será divulgada a ata do comitê de política monetária do Federal Reserve.

Na Europa, as bolsas operam em alta (Stoxx 600: 0,9%), com alta liderada pelo setor de tecnologia. Na China, as bolsas tiveram performances mistas (CSI 300: -0,2; HSI: 1,2%), e dados de atividade econômica mostraram expansão do setor de serviços.

Economia
O presidente do Fed, o banco central dos Estados Unidos, previu que a inflação pode retornar à meta até o final de 2025 e observou que o mercado de trabalho está mostrando sinais de arrefecimento. Apesar disso, ele pontuou que ainda são necessárias evidências adicionais para se determinar se a tendência de queda é sustentável. Nos Estados Unidos, o relatório JOLTS de abertura de vagas de trabalho veio acima das expectativas de mercado, mas continuou mostrando uma tendência de desaceleração, com a relação de vagas e o número de desempregados atingindo 1,24. Na China, o PMI Caixin mostrou queda acentuada no ritmo de crescimento, ficando pouco acima do nível que separa contração de expansão, puxado por uma piora nas expectativas futuras. Já na zona do euro, o PMI composto mostrou queda em junho, puxado pela deterioração adicional da manufatura enquanto os serviços continuam a crescer, mas a um ritmo mais fraco.

Na agenda do dia, destaque nos Estados Unidos para o relatório ADP de emprego privado e para dois indicadores antecedentes de atividade, o S&P US global composite e o ISM services index, ambos com expectativa de desaceleração na margem. Além disso, teremos a divulgação da ata da última reunião do Fomc. No Brasil, teremos a divulgação dos dados de produção industrial de maio, enquanto o mercado deve ficar de olho na reunião do presidente com os ministros da área econômica para discutir medidas de ajuste fiscal e a alta recente do câmbio.

Fonte: Morning Call XP

📊🗞 Veja os principais indicadores às 10:05h: 03/07/2024

🌏 EUA

Dow Jones Futuro: -0,01%
S&P 500 Futuro: -0,13%
Nasdaq Futuro: -0,19%

🌏 Ásia-Pacífico

Shanghai SE (China), -0,49%
Nikkei (Japão): +1,26%
Hang Seng Index (Hong Kong): +1,18%
Kospi (Coreia do Sul): +0,47%
ASX 200 (Austrália): +0,28%

🌍 Europa

FTSE 100 (Reino Unido): +0,49%
DAX (Alemanha): +0,95%
CAC 40 (França): +1,30%
FTSE MIB (Itália): +1,37%
STOXX 600: +0,68%

🌍 Commodities

Petróleo WTI, +0,34%, a US$ 83,02 o barril
Petróleo Brent, +0,22%, a US$ 86,44 o barril

Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 2,55%, a 864 iuanes, o equivalente a US$ 118,79

🪙 Bitcoin

Os preços do Bitcoin caem 2,21%, a US$ 60.558,00

Fonte: InfoMoney

4 minutos de leitura

Compartilhe:

Crie seu cadastro para acessar a área exclusiva do Portal SVN!

Lá você vai encontrar conteúdos exclusivos para investidores de todos os níveis: cursos, web books, lives, ferramentas e muito mais!

Os melhores conteúdos para você realizar os melhores investimentos

Crie seu acesso gratuito

Informe seus dados

Menu

Simulações de investimentos

Descubra o rendimento de diferentes valores no mercado financeiro.