Reforma tributária, inflação nos EUA, varejo no Brasil: o que move os mercados hoje

Ibovespa
O Ibovespa fechou ontem em leve alta de 0,1%, aos 127.218 pontos. O pregão foi marcado pela divulgação do IPCA de junho, que veio abaixo do consenso do mercado.

Os principais destaques positivos foram bancos, liderados pelo Santander (SANB11, +3,6%), refletindo um maior apetite por risco dos investidores pelo setor. Já o principal destaque negativo foi Azul (AZUL4, -4,8%), após rebaixamento da recomendação por um banco de investimentos para neutro.

Renda Fixa
Os juros futuros encerraram a sessão de quarta-feira com fechamento por toda extensão da curva. Nos EUA, os rendimentos das Treasuries – títulos soberanos americanos – de 2 anos fecharam em 4,62% (0,0bps) e as de 10 anos em 4,28% (-2,0bps), após o presidente do Federal Reserve alertar que a manutenção da taxa de juros em patamar elevado poderia prejudicar o crescimento econômico americano. DI jan/25 fechou em 10,53% (queda de 4bps vs. pregão anterior); DI jan/26 em 11,085% (queda de 10,2bps); DI jan/27 em 11,32% (queda de 15,2bps); DI jan/29 em 11,655% (queda de 18,9bps).

Mercados globais
Nesta quinta-feira, os futuros nos Estados Unidos abrem em queda (S&P 500: -0,1%; Nasdaq 100: -0,1%) no aguardo dados de inflação ao consumidor americano, que serão divulgados hoje. A temporada de resultados do segundo trimestre de 2024 se inicia hoje, com a divulgação dos balanços de Pepsico e Delta Airlines, e é seguida pelos bancos, que começam suas divulgações amanhã.

Na Europa, as bolsas operam em alta (Stoxx 600: 0,4%), impulsionadas pelos setores de luxo, materiais de construção e utilidades públicas. Na China, as bolsas subiram fortemente (CSI 300: 1,1; HSI: 2,1%) após anúncio de novas regulações.

Economia
O IPCA registrou elevação mensal de 0,21% em junho, abaixo das expectativas (XP: 0,33%; mercado: 0,30%). Com isso, a inflação acumulada em 12 meses atingiu 4,23%, contra 3,93% na divulgação anterior. O grupo de alimentos respondeu por grande parte da surpresa baixista no mês. A devolução do aumento de preços visto em maio – com o impacto das enchentes no Rio Grande do Sul – ocorreu de forma mais intensa do que o previsto. Apesar da leitura benigna em junho, elevamos nossa projeção para o IPCA de 2024, de 3,8% para 4,0%. Essa revisão decorreu dos reajustes de preços anunciados pela Petrobras no começo da semana (7% para a gasolina e 10% para o gás de cozinha). A previsão para o IPCA de 2025 permaneceu em 4,3%.

A Câmara dos Deputados aprovou ontem o primeiro projeto de lei complementar que regulamenta a Reforma Tributária (Emenda Constitucional nº 132/2023), disciplinando os novos tributos (CBS/IBS e Imposto Seletivo). Das votações destacadas, após aprovação do texto-base, houve apenas uma alteração: inclusão das carnes, peixes, queijos e sal – antes sujeitos à redução de 60% – no rol da cesta básica, com zeragem da CBS e IBS. Além disso, os deputados colocaram no texto da regulamentação uma trava para evitar que a alíquota padrão do Imposto sobre Valor Agregado (IVA) ultrapasse 26,5%. O mecanismo passaria a valer a partir de 2033, após o período de transição da reforma. Se a alíquota superar o limite, o governo será obrigado a formular um projeto de lei complementar com medidas (chamadas de “gatilhos”) para diminuir a carga tributária. O texto segue agora para o Senado, mantido o regime de urgência constitucional.

Na agenda econômica desta quinta-feira, destaque para a inflação ao consumidor dos EUA (CPI, na sigla em inglês) em junho. O consenso de mercado aponta para ligeiras altas de 0,1% para o índice cheio e 0,2% para a medida de núcleo, que exclui alimentos e energia. Os dados de junho podem reforçar a expectativa – de parte do mercado – de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) iniciará o ciclo de corte de juros em setembro. No Brasil, as atenções estarão voltadas para as vendas no comércio varejista em maio. Estimamos contração mensal de 0,4% para o varejo ampliado e 0,5% para o varejo restrito, refletindo o desastre natural no Rio Grande do Sul.

Fonte: Morning Call XP

📊🗞 Veja os principais indicadores às 11:27h: 11/07/2024

🌏 EUA

Dow Jones Futuro: +0,34%
S&P 500 Futuro: +0,13%
Nasdaq Futuro:-0,96%

🌏 Ásia-Pacífico

Shanghai SE (China), +1,06%
Nikkei (Japão): +0,94%
Hang Seng Index (Hong Kong): +2,06%
Kospi (Coreia do Sul): +0,81%
ASX 200 (Austrália): +0,93%

🌍 Europa

FTSE 100 (Reino Unido): +0,39%
DAX (Alemanha): +0,60%
CAC 40 (França): +0,66%
FTSE MIB (Itália):+0,16%
STOXX 600: +0,61%

🌍 Commodities

Petróleo WTI, -0,38%, a US$ 81,84 o barril
Petróleo Brent, -0,14%, a US$ 84,87o barril

Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 0,79%, a 828 iuanes, o equivalente a US$ 113,94

🪙 Bitcoin

Os preços do Bitcoin sobem 1,34%, a US$ 58.219,00

Fonte: InfoMoney

3 minutos de leitura

Compartilhe:

Crie seu cadastro para acessar a área exclusiva do Portal SVN!

Lá você vai encontrar conteúdos exclusivos para investidores de todos os níveis: cursos, web books, lives, ferramentas e muito mais!

Os melhores conteúdos para você realizar os melhores investimentos

Crie seu acesso gratuito

Informe seus dados

Menu

Simulações de investimentos

Descubra o rendimento de diferentes valores no mercado financeiro.