Bolsas em alta hoje; ata do FOMC nos EUA e arrecadação federal na agenda da semana

🇧🇷 Ibovespa
O Ibovespa terminou a semana em alta de 0,4% em reais e 1,4% em dólares, aos 128.151 pontos. Globalmente, os principais destaques da semana foram os dados de inflação ao consumidor nos EUA, divulgado na quarta-feira, que veio em linha com o consenso, e a China anunciando uma série de estímulos focados no setor imobiliário na sexta-feira. Ambas as notícias impulsionaram os mercados globais, incluindo o S&P 500, que ultrapassou o nível de 5.300 pontos pela primeira vez em sua história.

Na Bolsa brasileira, os principais destaques positivos foram os papeis do setor de frigoríficos, após reportarem balanços do 1T24 considerados positivos pelo mercado, com JBS (JBSS3, +18,6%) liderando (leia nossa análise aqui), seguido por Marfrig (MRFG3, +15,8%) e Minerva (BEEF3, +8,4%). Por outro lado, Petrobras (PETR3, -12,6%; PETR4, -11,8%) foi o principal destaque negativo, após reportar um resultado do 1T24 abaixo das expectativas (leia nossa análise aqui), seguido pelo anúncio de uma nova CEO, Magda Chambriard, substituindo Jean Paul Prates, no pós-fechamento da sessão de terça-feira (leia nossa análise aqui). Clique aqui para acessar o Resumo semanal da Bolsa.

📊 Renda Fixa
No comparativo semanal, os juros futuros encerraram com movimentos mistos: a ponta curta apresentou elevação nas taxas, enquanto os vencimentos intermediários e longos tiveram queda. O diferencial entre os contratos com vencimento em janeiro 2026 e 2034 saiu de 124,60 pontos-base na sexta-feira passada para 109,0 pontos na última semana. A curva, portanto, apresentou diminuição na inclinação.

A semana teve como centro das atenções a ata do Comitê de Política Monetária, que trouxe explicações para a decisão dividida na última reunião do banco central, reforçando a mensagem conservadora do comunicado pós-reunião. Nos Estados Unidos, os dados de inflação ao consumidor (CPI) vieram abaixo do esperado e desencadearam uma reação positiva no mercado. DI jan/25 fechou em 10,38% (alta de 6,9bps no comparativo semanal); DI jan/26 em 10,67% (alta de 10,3bps); DI jan/27 em 11,02% (alta de 5,6bps); DI jan/29 em 11,5% (queda de 0,8bps); DI jan/34 em 11,76% (queda de 5,3bps).

🌎 Mercados globais
Nesta segunda-feira, os mercados operam em alta nos Estados Unidos (S&P 500: 0,1%; Nasdaq 100: 0,2%), após dados econômicos mais benignos. Nesta semana, o mercado fica atento aos resultados de Nvidia, que reporta os resultados na quarta-feira, e à ata da última reunião do Federal Reserve. Veja todos os balanços aqui.

Na Europa, as bolsas sobem (Stoxx 600: 0,2%). Na China, as bolsas fecharam o dia em alta (CSI 300: 0,4%; HSI: 0,4%) dando continuidade ao movimento positivo da semana passada, que contou com anúncios de estímulos ao setor imobiliário.

🪙 Economia
Num discurso público durante o final de semana, o presidente do Fed, Jerome Powell, disse que espera que a inflação caia adiante, embora não esteja tão confiante quanto antes. O Banco Popular da China (PBoC) manteve inalterados os juros de referência, em linha com as expectativas do mercado. A taxa básica de juros (LPR) de 1 ano foi mantida em 3,45%., enquanto a taxa de 5 anos ficou em 3,95%. O preço do ouro subiu para os US$ 2.440 por onça na manhã de segunda-feira, atingindo um novo recorde, depois dos recentes dados econômicos dos EUA terem reforçado as especulações de que o Fed reduzirá os juros nos Estados Unidos pelo menos duas vezes este ano.

Na agenda internacional desta semana, a atenção se voltará para a divulgação da ata do banco central do Estados Unidos (Fed) na quarta-feira. Além disso, diversos diretores do Fed falarão publicamente ao longo da semana. Dados de inflação no Japão (quinta-feira) e Reino Unido (quarta-feira) também estão no radar do mercado. Por fim, leituras preliminares das sondagens empresariais PMI de maio nos Estados Unidos, Reino Unido e na zona do euro serão divulgadas.

No Brasil, a agenda de indicadores será mais leve. Destaque para os dados de arrecadação federal de abril, cuja data de publicação será divulgada nos próximos dias. Na sexta-feira, o Banco Central publicará sua nota de setor externo de abril, pela qual conheceremos o saldo em conta corrente e os investimentos estrangeiros no país. Vale manter no radar possíveis novas políticas de auxílio ao Rio Grande do Sul.

Fonte: Morning Call – XP

📊🗞 Veja os principais indicadores às 08h58: 20/05/2024

🇺🇸 EUA
Dow Jones Futuro: +0,07%
S&P 500 Futuro: +0,16%
Nasdaq Futuro: +0,26%

🌏 Ásia-Pacífico
Shanghai SE (China), +0,54%
Nikkei (Japão): +0,73%
Hang Seng Index (Hong Kong): +0,42%
Kospi (Coreia do Sul): +0,64%
ASX 200 (Austrália): +0,02%

🌍 Europa
FTSE 100 (Reino Unido): +0,21%
DAX (Alemanha): +0,44%
CAC 40 (França): +0,52%
FTSE MIB (Itália): -1,44%
STOXX 600: +0,29%

🚢 Commodities
Petróleo WTI, -0,28%, a US$ 79,36 o barril
Petróleo Brent, -0,21%, a US$ 83,80 o barril
Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 1,07%, a 894,50 iuanes, o equivalente a US$ 123,68

🪙 Bitcoin
Os preços do Bitcoin caem 0,49%, a US$ 67.008,00

Fonte: InfoMoney

4 minutos de leitura

Compartilhe:

Crie seu cadastro para acessar a área exclusiva do Portal SVN!

Lá você vai encontrar conteúdos exclusivos para investidores de todos os níveis: cursos, web books, lives, ferramentas e muito mais!

Os melhores conteúdos para você realizar os melhores investimentos

Crie seu acesso gratuito

Informe seus dados

Menu

Simulações de investimentos

Descubra o rendimento de diferentes valores no mercado financeiro.