1. Home
  2. /
  3. Primeiros Passos
  4. /
  5. Simuladores
  6. /
  7. Conversor de Taxas de...

Conversor de Taxas de Juros Anual para Mensal

Aqui você consegue transformar a taxas de juros anuais em mensais. Dessa maneira, é possível ter uma visão mais pontual da rentabilidade de um investimento. 

Como usar o simulador:

Preencha o campo “Taxa de juro anual” com o percentual do seu investimento que deseja converter para a taxa mensal. Depois, clique em “Converter”. 

Pronto, você terá a taxa de juro a ser recebida mensalmente com o aporte. 

Mensal para Anual

Anual para Mensal

O que é a taxa de juro?

O que são as taxas de juros?

As taxas de juros afetam o dia a dia de todas as pessoas, pois elas têm influência em diversas áreas da economia. Entre elas, os empréstimos (quando se paga juros) e os investimentos (quanto se recebe juros). 

No mundo dos investimentos, o juro pode ser comparado a um “aluguel”, ou uma taxa recebida por emprestar recursos a terceiros. Isso porque quando fazemos um investimento, na prática, emprestamos dinheiro para alguma empresa, instituição financeira ou para o governo. 

Para que serve a taxa de juro?

As taxas de juros correspondem à diferença entre o valor que é aplicado e o montante que é resgatado. Ou seja, serve para representar a valorização do dinheiro investido.

Em outras palavras, a taxa de juros dita a rentabilidade de qualquer operação, seja na forma de dividendos ou de dinheiro. É importante para quem investe dominar esse conceito, que é essencial para entender o quanto se pode pode ganhar com um investimento ao longo do tempo.

Os investidores de longo prazo geralmente calculam o recebimento anual dos juros. Mas também é possível converter essa taxa para calcular o ganho mensal com os aportes. 

Este simulador serve para facilitar essa conta! 

Como funciona essa conta?

É preciso atenção no momento de converter a taxa anual para mensal. Isso porque quando falamos de juros compostos – ou juros sobre juros – não basta somente dividir a taxa anual por 12. A maioria dos investimentos – como CDB, títulos públicos e fundos de renda fixa – têm a rentabilidade calculada pelos juros compostos. 

Diferente dos juros simples – que incidem somente sobre o valor inicial da aplicação – os juros compostos não levam em conta apenas o valor inicial do aporte, e sim o valor inicial mais os juros incidentes ao longo dos períodos.

Para entender como isso funciona na prática, vamos considerar um investimento de R$ 10 mil, com uma taxa de juros de 10% ao ano. 

No fim do primeiro ano, o montante seria de R$ 11 mil, certo? Então, os juros a serem recebidos passariam a ser calculados sobre esse novo valor. 

Assim, para cada período do contrato (mensal ou anual), existe um ‘novo capital’  para que a taxa de juros seja calculada. Por esse ‘novo capital’, entende-se a soma do capital inicial com o juro recebido com o investimento.

Ao converter a taxa anual para mensal, o funcionamento desse mecanismo fica mais claro. Ou seja, é possível ter uma dimensão mais exata da rentabilidade do investimento.

Autor

Priscilla Arroyo
Priscilla Arroyo é jornalista, especialista na cobertura de economia e finanças. Com dez anos de experiência em redações, foi repórter do Brasil Econômico e da Isto É Dinheiro. Como freelancer, contribuiu com reportagens para El País, Uol e iG.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes:

3 minutos de leitura

Simulações de investimentos

Descubra o rendimento de diferentes valores no mercado financeiro.