1. Home
  2. /
  3. Primeiros Passos
  4. /
  5. Dinheiro na poupança é...

Dinheiro na poupança é prejuízo

Não é segredo que os investimentos se traduzem em maneiras de fazer o seu dinheiro trabalhar por você. Mas vale sempre destacar que a poupança – definitivamente – não colabora para esse objetivo. Ao contrário: geralmente as pessoas perdem poder de compra deixando o dinheiro parado lá. 

Vamos ver como isso funciona na prática?

Perda de dinheiro na poupança

Perda de dinheiro na poupança / Mulher sentada em frente a uma mesa, mexendo no computador com uma mão e segurando um papel com a outra.

Sua reserva de dinheiro vale horas de trabalho, horas da sua vida. Aquelas economias que estão no banco, perdendo valor, são o tempo da sua vida perdendo valor. Literalmente.

Não é difícil chegar nessa conclusão. Conheça a história da Paula.

Paula trabalha como autônoma durante 8 horas por dia – o equivalente a 40 por semana e 160 horas por mês. Seu salário é R$ 10 mil, o que faz cada hora de labuta valer R$ 62,50. Como ela estava pensando em mudar de emprego, decidiu organizar as finanças. E começou a fazer uma reserva de emergência.

Para isso, deixou de pedir comida por delivery e cortou todas as outras despesas extras que podia. Com esse esforço, conseguiu economizar R$ 1.666 por mês por um ano. E assim chegou à primeira meta que tinha traçado de guardar R$ 20 mil.

Em 2020, com a pandemia, ela deixou esses R$ 20 mil parados na poupança. O seu salário foi cortado, então ela não conseguiu mais juntar recursos.

Mas Paula achou que as suas economias estavam ‘salvas’ na poupança. Quando, na verdade, ela estava perdendo dinheiro. Um amigo investidor a alertou sobre a perda, mas ela achou um exagero.

Na ponta do lápis

Na ponta do lápis / Mulher sentada em frente a uma mesa mexendo no computador e fazendo contas em uma calculadora.

No início do ano seguinte, Paula assistia ao noticiário e ouviu algo sobre a inflação, que somou 4,52% em 2020. Ela ligou para o amigo e perguntou quanto rendeu a poupança no ano anterior: “2,11%, já com o desconto da inflação”.

Foi então que percebeu: tinha perdido dinheiro.

Quanto (?), perguntou ao amigo, que começou a fazer contas.

“Quem começou 2020 com R$ 20 mil na poupança, terminou o ano com o dinheiro valendo R$ 518 menos. Isso significa a perda de poder de compra por conta da inflação.

Paula não entendia, então o amigo explicou melhor.

Com o rendimento da poupança, você tinha R$ 20.422 na conta. Mas as coisas que conseguia comprar há um ano com R$ 20 mil, agora custam, em média, R$ 20.904. Por isso, você perdeu R$ 518 em poder de compra”.

Mais de um dia perdido

Mais de um dia perdido / Folhas com imagens de gráficos em cima de uma mesa. Em cima delas há uma calculadora, moedas, notas de reais e uma caneta.

Agora ela começou a fazer as contas. O seu dia de trabalho vale R$ 500. Se assustou quando percebeu que perdeu mais que um dia todo de labuta (em poder de compra) pela teimosia de deixar as economias na poupança.

Prometeu para si mesma que a partir daquele momento ia valorizar mais os seus recursos e começou a pesquisar opções da Renda Fixa, tão seguras quanto a poupança e que protegem o poder de compra do dinheiro.

A história da Paula é a mesma de muitos brasileiros, que por descuido deixam grandes quantias de dinheiro paradas.

Existem muitas histórias como essa

Existem muitas histórias como essa / Um casal em uma sala de estar. Eles estão sentados em frente a uma mesa, com computador e lanches enquanto se concentram olhando uma folha de papel na mão do homem.

Somente em 2020, o ano do exemplo, os brasileiros colocaram R$ 166,3 bilhões na poupança. Talvez pela insegurança causada pela pandemia, esse foi o maior valor de depósito computado pelo Banco Central desde 1995, quando o dado começou a ser medido.

Ao todo, as contas de poupança do Brasil guardam mais de R$ 1 trilhão, o que é um recorde também.

Tem muita gente perdendo dinheiro! Quanto maior a quantia guardada, maior é a perda.

A regra da poupança

A regra da poupança / Uma mulher em pé sorri para a câmera com os braços cruzados.

Os retornos oferecidos seguem uma regra que varia de acordo com a Selic – taxa básica de juros da economia brasileira.

  • Quando a Selic fica acima de 8,5% ao ano, a poupança rende 0,5% ao mês mais a Taxa Referencial (TR), que em agosto de 2022 estava entre 0,1% e 0,2%.
  • Porém, quando a Selic fica igual ou abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento é equivalente a 70% dos juros básicos mais a variação da TR.

Essa regra passou a valer em 4 de maio de 2012 e ficou conhecida como “poupança nova”. Os depósitos feitos antes dessa data, sempre têm a rentabilidade de acordo com a regra antiga: 0,5% ao mês mais a TR.

Mesmo quando as cadernetas rendem mais, é comum que a poupança seja insuficiente para compensar as perdas causadas pelo avanço da inflação. Essa situação ficou ainda mais evidente com a inflação de dois dígitos entre 2021 e 2022.

Para exemplificar, temos uma simulação realizada por especialistas da SVN quando a Selic atingiu 13,75% em agosto de 2022. Com os dados daquele momento, a poupança teria um retorno real (descontado da inflação) de -2,34% ao ano.

Já uma Debênture Incentivada com rendimento de IPCA + 4%, por exemplo, poderia oferecer ganhos reais de 4,00% anualmente.Por isso, compartilhamos um conselho importante: pesquise, converse sobre alternativas.

Busque recomendações de profissionais. Existem muitas possibilidades para defender e aumentar o patrimônio de acordo com o perfil e os objetivos de cada pessoa.

Autor

Boris Bellini
Jornalista com experiências em marketing, segurança digital, mercado editorial e financeiro. No meio acadêmico, pesquisa a credibilidade jornalística. Anteriormente foi músico, tendo atuado como violoncelista e professor.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes:

4 minutos de leitura

Simulações de investimentos

Descubra o rendimento de diferentes valores no mercado financeiro.